Resenha: O Corpo Dela e Outras Farras - Carmen Maria Machado

Um livro que incomoda por ser tão próximo da nossa realidade

março 30, 2020 - Postado Por: Rafael Lutty
Compartilhe:

Um livro que incomoda por ser tão próximo da nossa realidade



Apesar do nome não indicar, Carmen Maria Machado é americana, ensaísta e crítica literária. Uma das vozes proeminentes da literatura americana. Convidada da Festa Literária de Paraty 2019 (Flip), Carmen teve seu primeiro livro publicado no Brasil em 2018, pela editora Planeta, trata-se de “O corpo dela e outras farras”, uma reunião de oito contos protagonizados por mulheres e que transitam entre a ficção científica, o drama e o terror. Sem surpresa, o livro foi considerado um Black Mirror feminista, em referência à série distópica da Netflix.

O conto que abre o livro se chama “O ponto do marido”, é de longe meu conto favorito neste livro. No conto acompanhamos desde os primeiros momentos de um romance entre um home e uma mulher, até anos depois com eles já casados e ainda inflamados de paixão e atração um pelo outro. Seria uma vida perfeita, não fosse o estranho fato de a mulher ter uma fita de cetim amarrada ao pescoço, desde sempre. Como parte de seu corpo, algo que é só dela e de mais ninguém, e por isso mesmo algo que desperta a intensa curiosidade do marido que se ressente por não compartilhar deste segredo. Definitivamente uma história com um daqueles finais que ficam na nossa cabeça por muito tempo depois da leitura.



No conto “Mães”, temos um casal lésbico aprendendo a lidar com a maternidade. Esse conto é brilhante pois consegue mostrar, no caso de uma das mulheres, como é tornar-se mãe de forma repentina, ter que aprender as coisas mais básicas e como lidar com necessidades que até então nem existiam no cotidiano. Um conto bonito, necessário e que soma na discussão da pluralidade de famílias existentes na sociedade.

Outro conto do livro é o “Especialmente hediondas – 272 visões de Low & Order: SVU”, em que a autora recria roteiros da Série Low & Order (franquia SVU) e os divide em doze temporadas. É o conto mais longo do livro e, na minha opinião, o mais fraco de todos. Possui uma premissa interessante que é escancarar o caráter um tanto misógino da série que aborda temas como estupro e abusos sofridos por mulheres, porém o desenvolvimento do conto não foi o mais satisfatório na minha opinião.



Nos outros contos do livro – que eu vou evitar comentar para não estragar a experiência de cada um com a leitura - a autora aborda temas como aborto, objetificação do corpo feminino, pressão estética e sexualidade. Na edição brasileira (não tenho certeza se na edição americana também), antes de cada conto, temos um mapa de corte do corpo de uma mulher, dividido em oito parte, uma para cada conto, é como aqueles mapas de corte que vemos em açougue. As ilustrações reforçam o sentimento que a autora cria em seus contos de mapear o corpo feminino e toda a sua materialidade, em diferentes aspectos; outra leitura possível é a de como o corpo de uma mulher é visto como algo comercial e que pode ser dividido em partes para satisfazer o desejo de cada consumidor.

Eu acho muito justa a comparação com a série Black Mirror, da Netflix, pois os contos no livro mesclam a dureza da realidade com alguns elementos de ficção que seguem a mesma linha de pensamento proposta pela série: Não é uma realidade tão distante da nossa. E no caso específico do livro, são realidades que já estão entre nós.



Essa é uma leitura indicada para qualquer amante de contos. São histórias com camadas como peles de cebola, em que cada vez que você descasca, incomoda mais, e é justamente isso que o torna um livro excelente. As nuances destas histórias terão impactos diferentes em cada indivíduo de acordo com sua identidade de gênero. É quase “chover no molhado”, mas é necessário destacar a atenção incrível da Editora Planeta do Brasil com o cuidado gráfico desta edição. A capa dura é linda, as cores são maravilhosas, o corte todo é preto, a editoração é muito confortável para a leitura, é o que podemos chamar de trabalho primoroso para um livro incrível.

Ficou interessado? Pois então corre para a livraria mais próxima que eu tenho certeza que a sua experiência vai ser tão boa quanto foi a minha.

O Corpo Dela e Outras Farras (Her Body and Other Parties)
Autora: Carmen Maria Machado
Editora: Planeta de Livros (Selo Minotauro)
Ano: 2018
Skoob: 3.7 estrelas / Goodreads: 3.9 estrelas
04 Estrelas
Uma poderosa coletânea de contos da autora finalista do National Book Award. Uma esposa se recusa a remover a fita verde de seu pescoço mesmo após súplicas de seu marido. Uma mulher relata seus encontros sexuais lentamente, como uma praga que consome a humanidade. Uma vendedora descobre algo terrível dentro das costuras dos vestidos de festa de uma loja. Uma cirurgia de redução de peso resulta em um hospedeiro indesejado. Ao mesmo tempo antiquado e sexy, estranho e mordaz, cômico e extremamente sério, O corpo dela e outras farras alterna uma violência brutal e o sentimento mais rebuscado. Em sua originalidade explosiva, essas histórias extrapolam as possibilidades da ficção contemporânea. Carmen Maria Machado derruba as fronteiras arbitrárias entre realismo, ficção científica, comédia, horror, fantasia e fábula. Nesta coletânea de contos provocativa, considerada um Black Mirror feminista, gêneros literários são desafiados em narrativas que mapeiam a realidade das vidas das mulheres e a violência a que são submetidos seus corpos.
Autor: Carmen Maria Machado é uma autora americana de origens cubanas e austríaca. Já foi publicada na Granta, The New Yorker, NPR, Electric Literature e em outros veículos. A autora foi indicada ao prêmio Nebula e ao prêmio Shirley Jackson, foi finalista do prêmio Calvino e National Book Award e vencedora do Bard Fiction Prize, do Lambda Literary Award na categoria Lesbian Fiction e do prêmio John Leonard do National Book Critics Circle. Ela é a escritora residente da Universidade da Pensilvânia e mora na Filadélfia com sua esposa. A autora é presença confirmada na Flip 2019.

Comente com o Facebook