Resenha: Máquinas Mortais - Philip Reeve

Philip nos concede um mundo incrível recheado de intrigas e sem nenhuma esperança de um futuro seguro.

agosto 03, 2019 - Postado Por: Everton Assis
Compartilhe:

Philip nos concede um mundo incrível recheado de intrigas e sem nenhuma esperança de um futuro seguro.




Normalmente deixo para parabenizar a editora pela escolha de lançar tal obra somente no final de cada resenha, mas desta vez, irei quebrar a tradição para falar que a Harper Collins Brasil acertou em cheio ao relançar está incrível aventura distópica que não deixa nada a desejar, ao contrário, deixa um gostinho de quero novas aventuras nesse universo.

Em Máquinas Mortais, somos apresentados ao que restou da humanidade. Séculos atrás, a humanidade cheia de ganancia e vaidade (semelhante com o nosso presente?) travaram inúmeras batalhas, entre elas a grande Guerra Dos Sessenta Minutos, que culminaram com a quase destruição do planeta.

Para sobreviver ao novo cenário apocalíptico, cidades antes estáticas, foram reconstruídas em cimas de grandes rodas e esteiras, dando início a era das cidades tração. Seguindo o Darwinismo Municipal em que metrópoles consomem as cidades menores, que consomem vilarejos e assim por diante. Sempre em movimento para garantir a vida aos que habitam essas ‘novas’ cidades.



A metrópole de Londres que em décadas vem mostrando sua força e grandiosidade, está a cada dia com menos presas para se alimentar e talvez Crome, lorde prefeito de Londres, finalmente tenha conseguido uma chance de mudar a situação para sua grande cidade através do renomado historiador Thaddeus Valentine. Mas parece que Valentine tem adquirido alguns inimigos, após uma bem sucedida caça a uma pequena cidade, ele quase perde a vida para uma misteriosa garota (Hester Shaw), se não fosse o espirito heroico do aprendiz historiador Tom Natsworthy, que salva a vida de Valentine, que em troca recebe algo inusitado pelo ato heroico.

Dizer que os opostos se atraem casa muito bem para descrever nossos protagonistas, Hester e Tom. São dois jovens que tem personalidades e vivencia de mundo bem diferentes, desde muito cedo Hester vagou por inúmeras cidades de tração, enquanto Tom só conhecia os limites de Londres, além de Hester por algum motivo sempre está resmungando ou sendo pessimista, batendo de frente com o espirito heroico e um pouco inocente de Tom. Mas estas diferencias não pesavam quando eles precisavam se ajudar em momentos difíceis durante a história.

Nossos protagonistas, ao longo de sua jornada encontram diversos personagens que cativam nossa atenção, como a piloto de voo Anna Fang, destemida e misteriosa, protagoniza grandes feitos no decorrer da história. Outro personagem da parte aérea, Khora, um soldado de guerra, mesmo aparecendo poucas vezes, consegue passar uma áurea de força e confiança. Katherine, filha adotiva de Valentine, é uma das que mais se destacam na trama por sua evolução, além de mostrar uma outra visão de Londres.



Um grande destaque aos personagens secundários vai para o Shrike, um robô-humano, um dos últimos de sua espécie criada pelos humanos para inúmeras causas nas guerras antigas. Shrike tem uma ligação muito forte com Hester e vai garantir muita ação no decorrer da trama. Não vou me estender para não dar spoilers, mas Shrike traz grandes referencias como Exterminador do futuro e Westworld (o filme de 1973).

“Em outros nichos, os tesouros de que seu pai havia trazido de expedições: cacos, fragmentos de teclados de computadores e crânios de metal enferrujados dos Stalkers – aqueles estranhos soldados meio mecânicos da guerra esquecida. Seus olhos de vidro rachados miravam Katherine com fúria enquanto ela passava apressada.” Pág. 44

Se depois de todos esses argumentos que levantei não forem o suficientes para você ler, o que Phillip Reeve criou, saiba que sua escrita carrega adrenalina e mesmo quando há preciso parar para saber sobre algum fato ou história passada, Phillip consegue deixar emocionante.

É não se engane, Máquinas Mortais é somente a entrada para todo esse universo distópico criado por Phillip Reeve, tendo sua série completa em 4 livros e anos mais tarde ganhando mais 3 livros que iram narrar acontecimentos que antecedem Máquinas Mortais. Phillip Reeve criou um mundo incrível somente esperando para você desvendar.

Adaptação aos cinemas.
Há quem fique com o pé atrás quando se fala em adaptações cinematográficas, mas Máquinas Mortais tem tudo para dar muito certo. Sua adaptação as telas de cinema vem com o roteiro de Peter Jackson (Senhor dos anéis e Hobbit) e direção de Christian Rivers. Além de possuir no elenco: Hugo Weaving, Jihae, Stephen Lang, entre outros.

Separamos alguns títulos de livros que ganharam uma adaptação cinematográfica em 2018, clique aqui.

A adaptação já chegou em terras tupiniquins em 19/01/19 e será distribuído pela Universal Pictures, confira o trailer oficial:



Gostaram? que tal aproveitar pra conseguir uma edição com um preço especial? É só clicar na imagem acima e adquirir o seu exemplar!
Máquinas Mortais (Mortal Engines)
Volume #1, Crônicas das Cidades Famintas (Mortal Engines Quartet)
Autor: Philip Reeve
Editora: Harper Collins Brasil
Ano: 2018
Skoob: 4.2 Estrelas / Goodreads: 3.8 Estrelas
Compre Aqui: Amazon
05 Estrelas
Neste mundo criado por Philip Reeve, a humanidade quase teve um fim em um conflito nuclear e biológico chamado de Guerra dos Sessenta Minutos. O mundo virou um descampado, a tecnologia foi praticamente extinta e todos os esforços humanos se voltaram para um único objetivo: fazer suas cidades sobreviverem. Para isso, elas precisam se mover, se tornando Cidades de Tração, para se afastar da radioatividade e doenças. Londres é uma grande cidade e está sempre em busca de novas cidades para se alimentar, como dita o Darwinismo Municipal: metrópoles consomem as cidades menores, que consomem vilarejos e assim por diante... No meio de um ataque de Londres à uma cidadezinha desesperada, Hester Shaw, uma menina com uma cicatriz horrível, tenta matar Thaddeus Valentine, o maior arqueólogo da metrópole. Valentine é salvo por Tom Natsworthy, um historiador aprendiz de terceira classe. De repente, ambos acabam caindo para fora da Cidade de Tração. Agora perdidos no vasto Campo de Caça, sem uma cidade para protegê-los, os dois precisam unir forças para alcançar Londres e sobreviver a um caminho cheio de saqueadores, piratas e outras Cidades de Tração. Além disso, ao que tudo indica Londres está planejando um ato desumano, envolvendo uma arma não usada na Guerra dos Sessenta Minutos, que pode dar fim ao pouco que restou do planeta...
Philip Reeve estudou ilustração, primeiro no então Cambridgeshire College of Arts and Technology (CCAT - atualmente Anglia Ruskin University), onde contribuiu para a tirinha da revista Student Union, e depois na Brighton Polytechnic (atualmente University of Brighton). Antes de iniciar sua carreira como ilustrador profissional, trabalhou vários anos em uma livraria de Brighton. Enquanto era estudante e por alguns anos depois, ele escreveu e atuou em pequenos shows cômicos em vários grupos. Criou cartuns para vários livros como a série Coleção Saber Horrível.

Comente com o Facebook