Resenha: Tau - O Senhor da Putrefação - Andrei Simões

abril 12, 2019 - Postado Por: Redação SOODA
Compartilhe:

Morte, filosofia e putrefação. É isto que te espera no novo livro de Andrei Simões




“Eu morri. As pessoas morrem. Mas desta vez, fui eu. E mais estranho que o ato de morrer é o fato de ter a consciência de tal”

Na maioria das vezes acredita-se que a morte é um ritual de passagem, em que o destino é criado a partir de suas crenças. Alguns acreditam que nos espera um grande julgamento que nos trará a condenação do inferno ou o alívio do paraíso. Outros acreditam que seguimos para uma pós-vida determinada a partir do modo que vivemos agora. Alguns acreditam que apenas acaba tudo. Mas e se não houver nenhuma passagem, nenhum caminho, nada além para causar dor ou alívio? E se no final das contas acabarmos presos no receptáculo que outrora chamamos de corpo, enquanto tomamos consciência de nossa própria putrefação?



Este é o ponto de partida para o livro “Putrefação”, lançado em 2005 pelo paraense Andrei Simões. Uma narrativa tão lírica quanto macabra, sobre um indivíduo que morre e continua preso em seu próprio corpo, consciente de seu estado. A premissa já é suficiente para causar um involuntário desconforto no leitor, e a execução é a responsável por impedir o leitor de ilhar-se diante de um oceano de reflexões que cada linha dessa obra evoca. Quatorze anos depois, Andrei Simões relança sua novela de horror filosófico, intitulada “Tau – senhor da putrefação”. O texto do primeiro livro foi revisado e mantido em sua íntegra, mas agora o autor nos apresenta sete novas histórias que se interligam à novela original. Outra novidade na nova edição, são as ilustrações de Talita Abreu, capazes de fazer o leitor perder a noite de sono.



Mais do que uma leitura, trata-se de uma experiência capaz de reverberar por muito tempo na mente de quem decide mergulhar nestas páginas. Em nenhumas das outras obras de Andrei Simões é possível o leitor sentir-se distante. Andrei faz questão de chamar “Aquele Que Lê” para próximo da narrativa, o leitor é parte do que acontece, acompanha de perto as reflexões do narrador.

Falar sobre morte e sobre as escuridões da nossa mente, nunca é um assunto fácil. Por isso, embora seja um livro curto, não é um livro rápido, exige respiração, transpiração e fôlego. A nova edição conta com uma versão tradicional e outra versão black, com páginas pretas e fontes brancas. A edição black é limitada e estará disponível no lançamento que ocorrerá dia 13 de abril, na livraria da Fox.

SERVIÇO
Lançamento do livro “Tau – senhor da putrefação”
Local: Livraria Fox, Doutor Moraes, 584 Hora: 18h
Entrada Franca

Resenha por Rafael Lutty

TAU - O Senhor da Putrefação (Now Wait for Last Year)
Autor: Andrei Simões
Editora: Folheando
Ano: 2019
Skoob: Sem Cadastro / Goodreads: Sem Cadastro

5 Estrelas
Autor: Utiliza a filosofia, ciência e ocultismo, navegando entre o realismo mágico e o horror, Andrei Simões procura instigar e provocar o leitor, com literatura minimalista e direta, mas profunda, utilizando de símbolos obscuros do inconsciente para trazer à tona difíceis, mas necessárias reflexões sobre a vida e a morte.O biólogo e mestre em comportamento é belenense, tem 39 anos e publicou os livros “Putrefação” (2005), “Zon, O Rei do Nada” (2013), este último em coautoria com Lupe Vasconcelos que colabora com 33 ilustrações e também tem contos nas antologias “Desnamorados” (2014) e “O Corvo: um livro colaborativo” (2015).

Comente com o Facebook