Música: Titanic Rising - Weyes Blood

Com referências ao famoso navio afundado em 1912, 'Titanic Rising' quer chamar atenção para o aquecimento global

abril 15, 2019 - Postado Por: Redação SOODA
Compartilhe:

Com referências ao famoso navio afundado em 1912, 'Titanic Rising' quer chamar atenção para o aquecimento global


Imagem Promocional

Com muita identidade própria e arranjos que parecem saídos dos anos 70, Natalie Merling, ou melhor, Weyes Blood, é a dona do mais novo candidato a "disco do ano", e não é a toa: o novo trabalho da cantora surpreende, emociona e é uma obra prima dos tempos modernos.

Titanic Rising dá um verdadeiro salto e sai na frente em relação a destaque aos trabalhos anteriores da cantora, que já tinha ganhado um certo holofote em seu From Row Seat to Earth, de 2016. O novo disco, lançado no começo de abril, já vinha sido amplamente aguardado graças a alguns singles promocionais, e seu lançamento veio rasgado de elogios pela crítica e sem dúvidas mostra o melhor de Weyes Blood.

O álbum já chama a atenção pela capa: nela podemos perceber a cantora mergulhada numa espécie de quarto submergido, algo como ela mesma definiu de “a zona da subconsciência”. Natalie conta que tudo foi feito numa espécie de caixa, e então mergulhado numa piscina. Havia apenas duas horas para fotografar as imagens do álbum, pois os objetos se estragariam rapidamente. Tudo isso feito para capturar a atmosfera das músicas do disco, que parece saído de um sonho.

Imagem Promocional

Com um punhado de dez músicas, o álbum faz referência em seu título não só ao próprio Titanic, mas também às mudanças climáticas e como não temos controle delas, e como literalmente o "Titanic surge" com o derretimento das geleiras, explicou a cantora em uma entrevista a Vinyl Me, Please.

Weyes Blood mixa passado e presente, e isso se mostra com o som clássico de violinos e os modernos sintetizadores em "Movies" onde confessa seu amor pela sétima arte. "Os filmes que assisti quando era uma criança / As esperanças e os sonhos / Não dê crédito as coisas reais / Eu amo os filmes."

Já em "Everyday", melodia clássica e com direito a corais de fundo que lembram algum trabalho dos Beach Boys, Weyes Blood assume ser uma romântica nata. "É verdade, é verdade / Eu vejo você todos os dias / Mas isso não é o suficiente.". Particularmente, a minha favorita, "Andromeda", é uma melancólica faixa que explode com suas notas de guitarra, em que Weyes se mostra esperançosa e sonhadora. "Agora eu sei que é apenas um sonho / Todos os outros irão me destruir".

Natalie entrega em seu novo trabalho um grupo de canções que conversam entre si. Mesmo diferentes, a narrativa de Titanic Rising é extremamente coesa, e une melodias arrebatadoras com o timbre vocal único da cantora. Weyes Blood é uma joia rara que lembra bastante de Kate Bush em seu começo de carreira, e prova que tem muito a oferecer. Certamente, surpreenderá seus novos ouvintes e também em seus futuros trabalhos.

Ouça o Álbum no Spotify



POR LAYLTON FREITAS

Comente com o Facebook