Resenha: Os Criminosos de Novembro - Sam Munson

A Importância do debate sobre violência na adolescência

janeiro 09, 2019 - Postado Por: Fábio Andrade
Compartilhe:

A Importância do debate sobre violência na adolescência




No Brasil a adolescência e a violência estão a cada dia mais próximas. A necessidade de escolhas mudam prematuramente em tempos que nem nosso coração está preparado e isso tudo se torna um dilema quando, o que vimos apenas pelas telas se torna algo do nosso cotidiano, a morte.

Talvez o mal do século XXI seja a expectativa e acometido por essa mazela eu finalizei a leitura do romance de estreia de Sam Munson: Os Criminosos de Novembro.

Por mais que o livro apresente mais pontos negativos do que positivos, um precisa ser ressaltado acima de tudo, Regiane Winarski – a tradutora Brasileira – fez um trabalho fenomenal no texto de Munson. Tive a oportunidade de ler alguns trechos na língua original e percebi o quanto a prosa era travada em momentos mais íntimos e de introspecção, exigindo uma sensibilidade ainda maior da tradutora em tentar “arrumar” as coisas para o português com o intuito de deixar o texto claro sem perder a mensagem final do autor, portanto desde já aqui fica os meus parabéns a tradutora.

O livro é melhor que o filme?
Anunciado em 2017 e adaptado em 2018, Os criminosos de novembro ganharam as salas de cinema com uma expectativa nas alturas, porém, teve um fim bem próximo ao do texto original. Críticas nem tão empolgantes, bilheteria fraca e diversos problemas técnicos e de narrativa, onde alguns ousam em dizer que já estavam presentes desde o livro.



Nesse ponto preciso concordar.

O plot principal da história tem seus méritos e traz discussões essenciais para o nosso momento atual, os leitores mais filosóficos conseguem – com certa facilidade – concluir uma super analise do livro fazendo analogias a depressão, problemas familiares e sobrecargas emocionais em adolescentes, mas no geral fica claro que o autor não tinha a intenção de falar sobre tudo isso.

Addison, um adolescente de 18 anos precisa tomar uma das maiores decisões de sua vida: o que ele vai ser quando crescer. Para nós brasileiros, esse tipo de pergunta nos encontra carregado de dúvidas que conseguimos estender por mais alguns anos, já em alguns estados da América do Norte, essa é uma decisão tão difícil e violenta de se tomar, que em alguns casos os pais expulsam seus filhos de casa dependendo da decisão tomada ou pela incapacidade de fazê-la.

Esse é um tema bastante importante para se tratar na literatura e tornar o assunto um cerne de debate em países onde essa cultura não é tão severa, porém o Sam pecou em um ponto que não deveria para tornar isso possível: a prosa.

Narrado em primeira pessoa, Os criminosos de Novembro acaba se tornando um grande monólogo ao decorrer da história, pois vemos apenas um ponto de vista – e em alguns pontos – de uma pessoa muito chata. A construção de Addison acaba sendo um pouco lenta devido a capítulos e mais capítulos de explicação de cenário deixando o personagem de lado e com pouco momentos para ganhar a empatia do leitor.



O livro todo é ruim?
A justiça precisa ser feita. Se tratando de ação e suspense, Sam Munson escreve muito bem. Apesar de termos apenas os olhos de Addison nas cenas, mas Sam faz um ótimo trabalho em momentos eletrizantes onde a narrativa precisa de pressa, efetuando as mesmas técnicas quando a história precisa ser mais lenta e angustiante.

A narrativa exige que hajam essa mudança de ritmo para conduzir melhor o leitor durante a história. Por misturar problemas internos, amizade, crimes, investigações e sentimentos de apenas um personagem, a equipe de Munson fez um trabalho eficiente se tratando de estruturação. A história nos envolve em muitos pontos, mas faz uma raiva súbita surgir em outros causando uma imensa vontade de largar o livro.

Ressalto que precisamos debater os temas propostos pelo autor e por mais que ele não tenha conseguido alcançar de forma certeira a mensagem a ser passada, não tira o mérito e a responsabilidade do debate. Os crimes de novembro é um livro, até certo ponto, bastante complexo de se captar ou decifrar suas mensagens internas, mas ao longo da leitura se torna uma aventura boa para ler. Vale também mencionar que, em relação ao filme, essa é uma história que não se sobressai a sua adaptação para as telonas.


Gostaram? que tal aproveitar pra conseguir uma edição com um preço especial? É só clicar na imagem acima e adquirir o seu exemplar!!!
Os Criminosos de Novembro (The November Criminals)
Autor: Sam Munson
Editora: Planeta
Ano: 2018
Skoob: 2.6 Estrelas / Goodreads: 2.6 Estrelas
Compre Aqui: Amazon
02 Estrelas
O thriller de sucesso que deu origem ao filme de Sacha Gervasi, com Ansel Elgort (A culpa é das estrelas e Divergente) e Chloë Grace Moretz (Se eu ficar) O jovem Addison Schacht tem 18 anos de idade e está terminando o ensino médio. Preenchendo o formulário para concorrer a uma vaga na universidade, ele para em uma das perguntas: “Quais são suas maiores qualidades e seus piores defeitos?”. Enquanto pensa na sua trajetória até ali e decide se deve ou não continuar os estudos, o rapaz vai levando a vida, vendendo drogas na escola, arrumando briga com os professores e tentando entender sua relação com a melhor amiga Digger (eles são só amigos, viu?). Mas quando Kevin, um colega de turma, é assassinado, Addison decide fazer uma investigação por conta própria. E, quanto mais ele descobre a respeito desse mistério, mais mergulha em questões ocultas de seu próprio passado.
Autor: Sam Munson apareceu no The National, no New York Times, no The Daily Beast, no Commentary, no Times Literary Supplement, no New York Observer, no The Utopian e em várias outras publicações. Ele se formou na Universidade de Chicago em 2003 e mora em Nova York.

Comente com o Facebook