Resenha: Um Planeta em Seu Giro Veloz - Madeleine L´Engle

Depois de explorar conceitos físicos, químicos e biológicos, no terceiro livro da série Uma Dobra no Tempo a autora resolve colocar uma aventura cheia de conceitos históricos e das ciências sociais

setembro 11, 2018 - Postado Por: Redação SOODA
Compartilhe:

Depois de explorar conceitos físicos, químicos e biológicos, no terceiro livro da série Uma Dobra no Tempo a autora resolve colocar uma aventura cheia de conceitos históricos e das ciências sociais




Uma Dobra no Tempo é um clássico da ficção cientifica. Apesar de ser muito criticado, por causa de seu mix de ciência e religião, a história de Madeleine L´Engle é leitura obrigatória em boa parte das escolas norte-americanas. Agora a Harper Collins Brasil trouxe essa missão de colocar essa obra para o grande público brasileiro, tanto que em menos de um ano, a editora lançou quatro dos cinco livros da série, com o último com previsão para o próximo mês de novembro. Um trabalho a jato. Mas afinal de contas o que faz essa obra atravessar gerações e inspirar tantos autores de ficção cientifica e fantasia?

Nas resenhas de Uma Dobra no Tempo e Um Vento à Porta você pode ver mais detalhes sobre como essa história começa. Mas, em linhas gerais temos a história de Meg, uma jovem, que começa a história com doze anos de idade, e está em busca de seu pai, que pode está em outro planeta. Com isso, ela precisa enfrentar muitos elementos fantásticos, e aplicar a ciência das dimensões para chegar até ele e tentar salva-lo, claro que com muito amor. Mais tarde, a jovem já com quinze anos, precisa entrar no organismo de seu irmão mais novo para tentar achar um outro inimigo, com isso, ficamos por dentro de conceitos de microbiologia e a relação de um e todo. Todas essas aventuras são realizadas com personagens bizarramente, maravilhosos.



Agora no terceiro livro, "Um Planeta em Seu Giro Veloz" muitos anos se passaram, ela está grávida, sua mãe ganhou um prêmio nobel e seu irmão tem quinze, e se tornará o protagonista dessa obra. Isso porque, o mundo está prestes a ter um ditador que irá domina-lo (estamos longe disso?). Meg não poderá assumir essa aventura e Charles Wallace invoca uma antiga runa para afastar a escuridão. Com isso, Gaudior, um unicórnio que está longe de ser aquela fofura que conhecemos aparece e leva Charles Wallace em uma aventura no tempo e espaço, por meio do vento, para tentar modificar atividades do passado, para assim transformar o futuro, sem que os Ectrois os pegue, e destrua-os.

ENTRE A HISTÓRIA E AS CIÊNCIAS SOCIAIS

Charles Wallace e Gaudior atravessam o tempo até o momento em que ainda existiam os indígenas nos Estados Unidos. A discussão se torna muito interessante nesse sentido, mostrando como o europeu dominou a America, utilizando-se da intolerância religiosa para dominar o povo que já vivia nesse local. Mais uma vez Madeleine utiliza-se de conceitos científicos para contar a sua aventura. Porém, ao invés de física, ou biologia, a autora aposta na História e Ciências Sociais, mostrando o quanto essas duas ciências são tão importantes para a história da humanidade, e mostram o quanto devemos aprender com o nosso passado.

Nesse momento, a autora também aproveita mais uma vez para trazer suas convicções cristãs, mostrando o quanto o amor é importante nesse processo, e também criticando a religião, mostrando que o fanatismo só nos leva a sentimentos maldosos. Assim como foi o período de intolerância religiosa que aconteceu nos EUA culminando no assassinato de indígenas naquele país, que tem grandes impactos sociais até os dias de hoje. Tudo isso, numa linguagem simples, e que qualquer pessoa pode compreender.



PERSONAGENS CATIVANTES

Aqui conhecemos uma Meg que cresceu bastante, se tornou uma adulta responsável, e que apesar de ter crescido, ainda tem o seu lado inocente, de que precisa acreditar no "irreal" para ter uma felicidade completa. Seu irmão Charles Wallace, um prodígio, se torna um adolescente menos arrogante, e as situações de bullying acabaram o transformando bastante. Assim, como as três senhoras do primeiro livro e Proginoskes, o querubim do segundo. Agora conhecemos um unicórnio, que tenho impressão que inspirou os unicórnios de Harry Potter, que estão longe de serem aqueles bichinhos fofinhos, mas sua inocência e inteligência ainda estão muito presentes. Mais uma vez, esses bizarros animais nos fascinam e são o elemento plus de fantasia nessa história.



MUDANÇAS NA ESCRITA DA AUTORA

O terceiro livro da série de Madeleine L´Engle tem uma mudança considerável sobre os livros anteriores. Primeiro, que a temática em si propiciou que o seu raciocínio fosse mais claro que os dois primeiros livros. Apesar de conceitos novos para a época em que ele foi lançado, a autora consegue delinear muitas questões sobre "viagem no tempo", que com certeza serviram para outros autores que escrevem sobre o tema nos dias atuais. E de maneira mais simples. Se muitas pessoas se sentiam perdidas nas duas primeiras histórias, dificilmente terá grandes problemas aqui.

Em compensação, a história nesse livro se tornou mais descritiva, tanto que o livro tem quase 100 páginas a mais que o primeiro da série, apesar de discorrer de menos temas que as outras obras. Isso pode incomodar algumas pessoas que já estavam acostumados com a rapidez que eram os primeiros livros de Madeleine, particularmente isso me afetou um pouco nesse sentido. O que está longe de ser ruim, mas minha conexão não foi da mesma ordem dos primeiros e segundo livros.

Ao chegar ao final dessa terceira história, cada vez mais fico convencido da importância da Madeleine L´Engle para a literatura fantástica e de ficção cientifica, pois percebe-se a preocupação dela em escrever uma história que diverte e ao mesmo tempo traz temas que poderiam ser chatos, mas que na sala de aula, torna-se algo extremamente alegre, melhorando consideravelmente o aprendizado daqueles que leem a autora. Uma obra que cumpre perfeitamente o seu papel social. Esperando ansiosamente pelas duas últimas leituras, e talvez já me sentido um pouco órfã porque passei de 50% da leitura dessa série.


INTERESSADOS? CLIQUE NA IMAGEM ACIMA E ADQUIRA O SEU EXEMPLAR COM DESCONTO
Um Planeta em Seu Giro Veloz (A Swiftly Tilting Planet)
Time Quintet #3
Autora: Madeleine L´Engle
Editora: Harper Collins Brasil
Ano: 2018
Skoob: 3,9 Estrelas / Goodreads: 4,12 Estrelas
Compre Aqui: Amazon
03 Estrelas
Um unicórnio, um menino e o vento, juntos em uma só velocidade! Quando Charles Wallace Murry, agora com quinze anos, grita em desespero a invocação de uma antiga runa para afastar a escuridão, uma criatura radiante aparece. É Gaudior, unicórnio e viajante do tempo. Charles Wallace e Gaudior devem viajar até o passado através dos ventos do tempo e tentar encontrar um Pode-Ter-Sido, um momento do passado em que todos os eventos que se seguiram até o presente podem ser mudados, e o futuro da Terra – esse pequeno planeta em seu giro veloz – pode ser salvo.
Autora: Madeleine L´Engle foi uma escritora estadunidense tendo como principal livro o seu best seller "Uma Dobra no Tempo", série de cinco livros de ficção cientifica para jovens adultos que também foi bastante premiado e lhe concedeu muito reconhecimento. Antes de lançar o livro ela teve o manuscrito recusado por mais de 20 editoras, que considerava a sua obra: "Ou muito infantil, para o público adulto, ou muito adulta para o público infantil".

Comente com o Facebook