Resenha: Sob o Céu do Nunca - Veronica Rossi

Pessoas vivendo em núcleos, em um mundo perfeito, prestes a se quebrar

julho 25, 2018 - Postado Por: Rosane Santos
Compartilhe:

Pessoas vivendo em núcleos, em um mundo perfeito, prestes a se quebrar





No primeiro livro da Trilogia Never Sky nós somos apresentados a um mundo distópico, onde as pessoas vivem em núcleos, não há doenças, as pessoas não envelhecem e podem viajar através de diversos reinos sem sair do lugar, todos são felizes e podem ter praticamente tudo o que desejam, bastando apenas pensar no que querem. É, aparentemente um mundo perfeito.

Entretanto, tudo muda quando Aria, junto com seus amigos decidem invadir um dos núcleos para um pouco de “diversão” real, porém as coisas saem completamente do controle e Aria se encontra então em uma situação de perigo real e não vislumbra uma forma de sair dali viva. Para sua surpresa, ela é salva de forma misteriosa e a partir disso sua vida nunca mais será a mesma.

Aria se vê envolvida em algo como uma teoria da conspiração, é acusada de ter causado o incidente no núcleo e enganada por um dos líderes desse mundo distópico Aria é abandonada para morrer fora dos núcleos, em uma terra hostil e castigada por um fenômeno devastador chamado de éter, que envolve toda aquela terra e que teria sido um dos motivos para a criação dos núcleos.



Em Sob o Céu do Nunca, a narrativa é dividida entre os dois personagens principais: Aria e Perry, portanto temos uma visão do funcionamento dentro dos núcleos e de como é a vida fora deles, o que nos faz entender um pouco sobre as diferenças entre os mundos.

Aria tem seu destino cruzado com Perry, um forasteiro que lhe causa temor por seus comportamentos que ela considera como “primitivos”, tudo nele é errado para ela, sua aparência, seu modo de viver, entre outras características que ela descobre no decorrer da narrativa.

Perry nasceu em um mundo castigado pelas chuvas de éter, tendo que sobreviver em condições mínimas, através de caça e pesca, sempre se sentiu rejeitado e menosprezado pela sua comunidade e sua maior alegria é o sobrinho, Talon, por quem ele daria a própria vida.



O destino desses personagens se cruza de forma inesperada: de alguma forma um precisa do outro para sobreviver e enfrentar uma batalha com o desconhecido, da qual eles talvez não saiam vencedores.

É muito legal ver o desenvolvimento de Aria, o quanto ela cresceu no decorrer da história e como ela passou a entender melhor sobre sua própria origem, descobriu que as pessoas em que ela tanto confiava escondiam segredos sombrios e que ela precisava ser forte se queria sobreviver. O desenvolvimento de Perry foi muito bom também. Gostei bastante de já no primeiro livro ver como os personagens são capazes de amadurecer frente às circunstâncias que aparecem no caminho dessa jornada que promete ser cheia de perigos e novas descobertas.

O relacionamento entre Aria e Perry vai se desenvolvendo em ritmo bom, não é aquela coisa de amor à primeira vista, nada muito forçado, mas sim a partir do momento em que eles começam a entender melhor suas diferenças, a tentar compreender as condições em que foram criados e reconhecer as qualidades e defeitos em cada um. A autora acertou no tom do romance.



A cada segredo revelado a vida que Aria conhecia se torna mais distante e o perigo que a cerca se torna mais real, ela já não sabe mais em quem confiar e nem no que acreditar. Tudo o que ela conhecia começa a desmoronar e ela precisa encontrar uma maneira que acertar as coisas.

O universo criado pela Veronica é muito instigante, com boas cenas de ação, o livro tem essa pegada de ficção científica com distopia e um pouco de “magia” (apesar de essa não ser uma palavra exata para descrever o que ocorre) que prende o leitor de forma que só é possível largar o livro quando chegamos à última página.

Algo que me incomodou um pouco é que a autora focou demais no romance e não explorou tanto nesse primeiro livro o funcionamento desse novo mundo, senti falta de explicações essenciais para entender o que ocorreu para que houvesse essa divisão entre os moradores dos núcleos e os que viviam lá fora. Espero que isso seja melhor desenvolvido no próximo livro.

Esse livro foi definitivamente uma boa surpresa, já fazia bastante tempo que queria ler, porém não estava com grandes expectativas e ele me surpreendeu de forma positiva e estou muito curiosa para saber o que vem em seguida.


Se interessou? Que tal adquirir um exemplar do livro clicando na imagem acima?
Sob o Céu do Nunca (Under the Never Sky)
Volume #1, Trilogia Never Sky
Autora: Veronica Rossi
Editora: Rocco (Selo Rocco Jovens Leitores)
Ano: 2015
Skoob: 4.4 Estrelas / Goodreads: 4.0 Estrelas
Compre Aqui: Amazon, Saraiva
04 Estrelas
Primeiro livro da trilogia Never Sky, Sob o céu do nunca segue a tradição dos romances ambientados num futuro distópico – no caso 300 anos após uma catástrofe que devastou a Terra – dominado por um governo autoritário disposto a manter o poder a qualquer preço. E Veronica Rossi, escritora brasileira radicada nos Estados Unidos, criou um universo apaixonante, um mundo perigoso e cruel, mas ao mesmo tempo belo e digno da tradição de Jogos Vorazes e Divergente. A trama acompanha a saga da jovem Aria, ex-moradora de Quimera, um núcleo de civilização protegido por um domo e sem qualquer contato com o mundo exterior, e Perry, um Forasteiro. Opostos em tudo, seus destinos se cruzam numa improvável aliança pela sobrevivência.
Autora: Veronica Rossi nasceu na cidade do Rio de Janeiro. Durante a infân­cia, morou em vários países e cidades pelo mundo, até se fixar no norte da Califórnia, onde vive atualmente com o marido e dois filhos. É graduada pela Universidade da Califórnia, em Los Angeles, e estudou be­las-artes na Escola de Artes, em São Fran­cisco. Sua estreia na literatura, a trilogia Never Sky, foi vendida para mais de 25 países e teve os direitos de adaptação cinematográfica comprados pelos estúdios Warner Bros.

Comente com o Facebook