Lista: Livros na mesma vibe de God is a Woman

Single traz inúmeras referências com objetivo de questionar a sociedade patriarcal que vivemos, confira alguns livros que atuam nessa luta

julho 19, 2018 - Postado Por: Redação SOODA
Compartilhe:

Single traz inúmeras referências com objetivo de questionar a sociedade patriarcal que vivemos, confira alguns livros que atuam nessa luta



Uma mulher reproduzindo a figura da icônica estátua do "Pensador". Um útero, com um monte de espermatozoides correndo em busca do óvulo. A significativa obra de Michelangelo sendo reproduzida apenas com mulheres. Essas são apenas algumas das imagens que podem ser confrontadas ao assistir pela primeira vez o Clipe "God is a Woman", novo single da cantora Ariana Grande, lançado no último dia 13 de julho e que já teve mais de 30 milhões de reproduções no Youtube, e atingiu o top 1 no Itunes em diversos países, e está no top 10 do spotify em dezenas de outros locais.

Pensando em todas a discussões trazidas pelo clipe e música da cantora norte-americana que é uma das principais vozes dos dias atuais, trazemos uma lista com diversos títulos que trazem à tona, discussões extremamente relevantes nos dias de hoje. A Literatura é um importante eco de muitas dessas histórias, sendo assim existem dezenas delas. Infelizmente nem todas poderão ser referenciadas nesse post, mas mostraremos algumas dessas obras. Se você curtiu o novo clipe de Ariana Grande, irá se identificar com essas histórias. Vamos lá.




Vencedor do Women's Baileys Prize, e considerado uma das melhores obras de 2017 pelo The New York Times, a obra traz Cosmopolitam, um local onde as mulheres adquiriram o poder de eletrocutar as pessoas, infligindo dores que pode levar a morte, de repente, os homens percebem que não estão mais no controle do mundo subvertendo muitas questões envolvendo que existem em nosso planeta. Uma história que tem muito a nos mostrar e nos fazer questionar os parâmetros sociais que controlam o nosso mundo.




Coletânea de contos indicada ao National Book Award, um dos principais prêmios literário dos Estados Unidos, essa obra busca por meio do horror e mistério discutir a falta de poder sobre os seus corpos que as mulheres possuem. Então, entre os contos é possível ver Uma mulher que relata seus encontros sexuais lentamente, como uma praga que consome a humanidade. Uma vendedora descobre algo terrível dentro das costuras dos vestidos de festa de uma loja. Uma cirurgia de redução de peso resulta em um hospedeiro indesejado, entre outras discussões. O livro já fora apelidado por alguns, como "Black Mirror Feminista".




No universo literário, o livro já ganhou o apelido de "Conto da Aia" para os jovens. E apesar de suas grandes diferenças, a história tem um mote semelhante: Uma sociedade, onde mulheres são subjugadas no nível "hard". No reino de Viridia, as mulheres tem poucas serventias, e uma delas é a de se tornarem "Graças", e servirem intensamente aos desejos do superior. Serina e Nomi são irmãs, uma delas tem um desejo intenso de se tornar uma Graça, assim poderá ajudar a sua família ascender, visto que a função dar provento para os parentes das Graças sobreviverem. Nomi, já é bem diferente, aprendeu a ler escondida e não consegue aceitar esse subjulgamento. Mas como o destino é uma pedra no sapato. Nomi se torna a Graça do futuro superior, e irá ter que conviver com as trairagens na coroa. E Serina acaba sendo presa e vai parar numa ilha, onde para sobreviver é preciso lutar até a morte. Com histórias opostas ao que desejavam, Serina e Nomi tem a possibilidade de lutar por tudo aquilo que a sociedade condena as mulheres: liberdade. Resenha aqui.




É um livro indigesto, mas necessário. Na história conhecemos Alex Craft, sua irmã foi assassinada por um predador sexual, então ela decide se vingar dele e de todos os homens que de alguma forma tentam subjugar as mulheres. Para isso ela pratica alguns atos de certa forma irracionais, como uma espécie de "não aguento mais", e assim faz justiça com as próprias mãos. No livro ainda conhecemos histórias de outras jovens amigas de Alex, que passam por uma série de situações no ensino médio que acabam mostrando que desde pequenos a sociedade machista incute ideais de subjugação. O livro é uma forma de construir essas ideias questionando-as a todo o momento. Resenha aqui.




Único livro de não-ficção dessa lista, a obra é um relato e verdadeiro de Rose Mcgowan, uma jovem que sofreu na pele os abusos cometidos pelo machismo de Hollywood. Afinal de contas, não é lá que os sonhos viram realidade? Talvez, como autora diz, se você for um homem branco e hétero, essa frase seja verdadeira, fora isso, Não. A escritora rela então todos os abusos cometidos com ela e com suas amigas, mostrando o lado podre dessa "maravilhosa industria do entretenimento. Resenha Aqui.




Muito sangue rola nessa história, porém o mais é importante é a mensagem. Na história conhecemos Alena, uma jovem que sofre bastante bullying e abusos na escola, a maioria deles em decorrência do machismo que persiste no interior das escolas, criando um imenso ambiente de competição entre as próprias mulheres. Porém, a jovem recebe a visita de sua amiga que morreu há um ano, e que incita-a a revidar a tudo de ruim que acontece com ela. Mas afinal de contas o que está acontecendo com Alena? Durante a história com um pitada gore, o sangue jorra constantemente em muitas páginas, assim como as reflexões sobre o mundo em que vivemos. Resenha Aqui.

Então é isso gente. O mais importante de tudo é discutir esse papeis que nos são impostos a todo o momento, e lutar para muda-los. Talvez assim, consigamos ter uma sociedade mais justa a todos. Se quiserem esses, ou outras obras que tenham mais sobre essa vibe, acessem uma lista que deixamos no site da Amazon (clique aqui)

Comente com o Facebook