Resenha: O Fundo é Apenas O Começo - Neal Shusterman

Uma obra que consegue nos imergir em uma mente esquizofrênica, sem que o assunto se torne didático, e sim empático

junho 20, 2018 - Postado Por: Redação SOODA
Compartilhe:

Uma obra que consegue nos imergir em uma mente esquizofrênica, sem que o assunto se torne didático, e sim empático





"Como é estranho que agora eu me veja preso num grupo de uma pessoa só, mesmo estando no meio de um grupo de verdade" p. 49. Muitos livros Sick-Lit (obras que estão centradas sobre a discussão de alguma doença) costumam funcionar de maneira didática sobre o tema, mostrando as várias fases de determinadas doenças, sejam físicas ou psicológicas. Isso é muito bacana, porém as vezes o autor busca se distanciar dos personagens para explicar mais sobre a doença, então as vezes o assunto acaba sendo ensinado, mas nem sempre conhecimento vai arraigado de empatia.

O Fundo é Apenas o Começo foge totalmente esse esteriótipo. Na obra, o autor nem sequer usa o termo relacionado a doença do personagem, assim podemos nos focar em seus sentimentos e sensações, das descobertas, melhoras, momentos mais fragilizados. As vezes o autor até escolhe a segunda pessoa, provocando que nós leitores encarasse a história não somente como expectador, mas participe. O resultado é uma poética história de um jovem que busca se compreender e mudar o seu interior, a fim de finalmente se preparar para a guerra com uma doença que insiste em habitar a sua mente.

Caden Bosh é um jovem normal "aparentemente", porém com o tempo, pensamentos invasivos começam a habitar a sua mente. Um colega que pretende mata-lo sem nenhum explicação, teorias da conspiração que surgem de um pensamento qualquer, e por aí vai. Com o tempo essas histórias começam a ser mais frequentes, quase impossível de serem deixadas de lado. Com isso, Caden começa a se afastar de amigos, família. Ele se torna uma pessoa introspectiva, imerso somente a essas vozes que não param de martelar. Caden precisa de ajuda, e seus pais entendem na hora certa.

Ao mesmo tempo, uma história começa a surgir na narrativa. Caden Bosch está na tripulação de um barco, em direção para um caminho ainda desconhecido. A todo tempo, Caden aprende coisas novas nesse local, e a lealdade do jovem é testada a todo momento. Seria essa uma história real o fictícia? É difícil descrever, pois o autor consegue nos imergir nesse contexto tão bem, que as duas narrativas são especialmente críveis. Porém, uma delas não é verdade, certo? Boa Pergunta.



Esse é o tipo de romance YA, que mostra a importância e necessidade de uma discussão mais profunda sobre essas histórias. Os dois momentos narrativos conseguem trazer debates interessantes que se completam. A história de Caden Bosch funciona como uma metáfora da vida de Caden Bosch esquizofrênico. E também poderia ser ao contrário. O caminho da verdade nessa história você é quem escolhe. No final, o resultado sobre o assunto é o mesmo, ele sendo mais abstrato ou direto.

Nesse sentido a figura do Caden é extremamente relevante. Um jovem que quer entender tudo o que está acontecendo, nas duas realidades. Um Caden que possui pensamentos invasivos, que não reconhece a sua doença, que consegue detalhar todos os medicamentos e sentimentos que ele tem, que reconhece seus momentos de lucidez ou fuga da realidade. É um jovem carismático que nos apresenta a sua história, de maneira que até esquecemos a doença que ele tem. Não importa, podia ser uma dor no pé. A relevância aqui está no que ele estará levando para o resto de suas memórias, o sentimento de eu venci, e isso é brilhante.

Apesar de não ser uma narrativa carregada de Plot Twists, a vida de Caden, seus pensamentos e superações, estão entre a delicia dessa leitura, é uma sensação de terminar um obra e perceber que ela estará para sempre em seu coração, como uma possibilidade de não somente entender a esquizofrenia, mas respeitar aquelas pessoas que possuem a doença, ajudando-as a conviver com elas em um mundo que precisar ser melhor para todos.


Interessados nessa história? Clique na imagem acima e adquira o seu exemplar.

O Fundo é Apenas o Começo (Challenger Deep)
Autor: Neal Shusterman
Editora: Editora Valentina
Ano: 2018
Skoob: 4.2 Estrelas / Goodreads: 4,14 Estrelas
Compre Aqui: Amazon
03 Estrelas
Caden bosch está a bordo de um navio que ruma ao ponto mais remoto da terra: challenger deep, uma depressão marinha situada a sudoeste da fossa das marianas. Caden bosch é um aluno brilhante do ensino médio, cujos amigos estão começando a notar seu comportamento estranho. Caden bosch é designado o artista de plantão do navio, para documentar a viagem com desenhos. Caden bosch finge entrar para a equipe de corrida da escola, mas na verdade passa os dias caminhando quilômetros, absorto em pensamentos. Caden bosch está dividido entre sua lealdade ao capitão e a tentação de se amotinar. Caden bosch está dilacerado. Cativante e poderoso, o fundo é apenas o começo é um romance que permanece muito além da última página, um pungente tour de force de um dos mais admirados autores contemporâneos da ficção jovem adulta.
Autor: Neal Shusterman é um autor norte-americano conhecido como um grande contador de história, na literatura já ganhou alguns prêmios, inclusive com o livro "O Fundo É Apenas o Começo". Outras obras lançadas pelo autor no Brasil foi A Série O Ceifador, pela Editora Seguinte e Fragmentados pela Editora Novo Conceito.

Comente com o Facebook