Resenha: Justin - Gauthier

HQ discute a questão trans, por meio da experiência de um jovem, ajudando aos leitores a terem conhecimento, empatia. ou simplesmente respeito pela causa

abril 05, 2018 - Postado Por: Redação SOODA
Compartilhe:

HQ discute a questão trans, por meio da experiência de um jovem, ajudando aos leitores a terem conhecimento, empatia. ou simplesmente respeito pela causa




Em 2017, uma das maiores autoras que discutem a questão de gênero e identidade, veio ao Brasil. Judith Butler, é uma filosofa pós-estruturalista que há pelo menos 30 anos vem estudado essas questões, sendo percursora da teoria queer (diferente de ideologia de gênero) que considera gênero como algo social, diferente de sexo e sexualidade. Mesmo com trabalhos intensos nessa área, ela foi escrachada por vários grupos fundamentalistas que pouco se aprofundaram sobre as discussões que ela faz, mostrando que o ódio ainda permeia a sociedade brasileira (acredito que mundial, mas vamos fazer esse recorte).

Seja por falta de conhecimento, ou hipocrisia social. Esse ódio provoca mortes de centenas de pessoas em todo o mundo. No Brasil, a cada 48 hs, uma pessoa morre, simplesmente por assumir uma identidade diferente do seu sexo de nascimento (sem contar os casos de homicídios que todos sofremos). Nesse aspecto a literatura tenta fazer a sua função, ou mesmo os quadrinhos como é o caso. E assim, chega nas livrarias de todo o Brasil Justin, uma HQ que tenta trazer uma luz sobre uma discussão real, do qual milhares de pessoas em todo mundo passa em algum aspecto, lutando contra o preconceito, para se fixar na sociedade, não como um marginal (no sentido de marginalidade), mas como uma pessoa que tem direitos.



Na história, conhecemos a vida de Justin. Ou inicialmente, Justine. Nascida no sexo feminino, o jovem, desde cedo já mostrava traços de que se sentia um menino. Não queria usar vestidos, e na aula de Educação Fisica não conseguia se enquadrar no padrão masculino ou feminino. Mais tarde, esses traços foram se desenvolvendo, deixando Justin mais confuso. Inicialmente se declarando gay, ele no final das contas percebia que ainda não se encaixava em uma caixinha, e ao mesmo tempo a juventude da década de 1980 pressionava para se encaixar, algo dolorido de se vê em cada traço da HQ.

Ao crescer, Justin acabou se afastando da família e vivendo isoladamente em Paris, ele pode finalmente assumir sua identidade, achando que assim ele estava longe dos problemas. Mesmo assim, muitos médicos o consideravam aberração, e o passado vinha lhe enfrentar constantemente. Justin teria uma luta eterna até o fim da vida para tentar ser aceito socialmente. Algo, que para nós cis, é mais fácil. É um privilégio que temos que aceitar que possuímos em relação a pessoa trans.



A BUSCA PARA SE ENTENDER

Assim como a HQ "Enterro das minhas Ex", Gauthier traz em "Justin" uma obra introspectiva, no qual os seus traços e diálogos, levam-nos a tentar compreender a cabeça de uma pessoa trans. Apesar de ser difícil para muitos de nós que vivemos num padrão social heteronormativo. Se a gente deixar um pouco a racionalidade, e levarmos pela empatia com a personagem, vamos conseguir esclarecer dúvidas sobre seus sentimentos, dificuldades e mudanças.

Talvez a gente não entenda o que é a totalidade dessa discussão, a partir dessa HQ, e ela nem tem essa pretensão. Mas com certeza ela é um grande start para muitas pessoas que querem compreender esse universo das pessoas trans, seja adolescentes ou adultos. Para que assim, a gente possa quem sabe colocar em pauta esse tema tão importante para a nossa sociedade. E quem sabe daqui a alguns, uma pessoa trans possa ter acesso aos mesmos direitos sociais que as pessoas cis, pois podem ter certeza, desejos, elxs tem.

De serem reconhecidos, aceitos, representados em uma sociedade que deveria ser igual e justa para todos. Eu ainda tenho uma visão pessimista dos próximos anos no Brasil, e os dados nos levam a isso. Mas ao ver HQ´s como essa chegando a tanta gente, vem aquela centelha de esperança de que as coisa podem mudar. Nem que seja só mais um pouco, para o centro do respeito social, independente do gênero, no qual a pessoa se identifica.



Ficaram interessados?? Que tal adquirir um exemplar no link acima? Com certeza ajudará esse blog a crescer !!


Gauthier tem duas obras magnificas que abordam temas como sexualidade (O Enterro das Minhas Ex) e Identidade (Justin). E você tá afim de faturar as duas HQ´s de uma vez só. Basta seguir as regras abaixo e torcer:

- Seguir o Sooda Blog no facebook (Clique aqui).
- Seguir a Página da Editora Nemo no facebook (Clique aqui)
- Curtir, Compartilhar e marcar duas pessoas no post oficial do sorteio. (Clique Aqui)
- Comentar aqui embaixo o que achou da resenha (comentário relevante).


Pronto. Lembrando que o sorteio será realizado às 18hs do dia 30/04. Então, depois desse horário, não serão aceitos mais participações, ok?

---------------------------- SORTEIO REALIZADO ---------------------------------------------------------
Bruna Rocha levou para casa as duas HQ´s !!!

Justin (Justin)
Autora: Gauthier
Editora: Editora Nemo (Grupo Autêntica)
Ano: 2018
Skoob: 4.3 Estrelas / Goodreads: 3,69 Estrelas
Compre Aqui: Amazon, Saraiva, Submarino
04 Estrelas
Quando o professor de Educação Física pede para a turma formar uma equipe de meninas e uma de meninos, Justine permanece no meio. Ela sente que não pertence ao gênero que lhe foi atribuído, mas está convencida de que todo mundo sabe disso, exceto seus pais. Ao longo de sua vida como criança, adolescente e jovem adulta, muitas vezes maltratada e incompreendida, Justine, por fim, compromete-se a viver como quem ele sempre foi, isto é, Justin.
Autora: Gauthier é Formada em Ilustração na École des Arts Décoratifs de Strasbourg, Anne-Charlotte Gauthier trabalha como ilustradora para a imprensa e editoras infantojuvenis, e realiza, paralelamente, diferentes projetos de histórias em quadrinhos, publicadas pelas editoras Misma, 6 pieds sous terre e Delcourt.

Comente com o Facebook