Resenha: O Amor nos Tempos do Ouro - Marina Carvalho

Um romance histórico que prova que o amor pode surgir de onde menos esperamos e quando menos esperamos

março 30, 2018 - Postado Por: Rosane Santos
Compartilhe:

Um romance histórico que prova que o amor pode surgir de onde menos esperamos e quando menos esperamos





Eu conheci a Marina a alguns anos atrás com o livro "Simplesmente Ana", nessa época, confesso, tinha um certo preconceito com autores brasileiros (shame on me), enfim, eu fiquei encantada com a escrita da Marina e estava ansiosa para ler outras de suas obras e também graças a ela passei a me interessar mais pelos autores nacionais e, obviamente descobri que estava perdendo grandes histórias. Fica aqui o meu obrigada ♥

Agora tive a oportunidade de ler um dos seus livros mais recentes, "O Amor Nos Tempos do Ouro", que logo me chamou a atenção com a sua premissa: romance histórico que se passa no Brasil e tem uma personagem badass, QUERO!

"O Amor Nos Tempos do Ouro" narra a trajetória de Cécile, uma jovem franco-portuguesa que acabou de perder toda a família de maneira trágica e para tornar seu sofrimento ainda maior, o seu único parente vivo, seu tio Euzébio decide leva-la para o Brasil afim de que ela se case com um homem muito poderoso em Minas Gerais. A partir desses acontecimentos a vida de Cécile toma um rumo que ela jamais poderia imaginar.

A história se passa durante o período do Brasil colônia, Cécile precisa viajar por um longo trajeto do Rio de Janeiro até Minas Gerais, um caminho cheio de perigos e diversas dificuldades. Para garantir que ela chegue ao seu destino, seu futuro marido contrata um explorador de sua confiança, Fernão.


Cécile conhece Fernão, que irá acompanha-la na viagem até Minas Gerais, e de imediato ela sente repulsa e ódio, pois ele está ali para leva-la direto para uma vida infeliz e ela o enxerga como um homem bruto e que já deve ter feito muitas coisas ruins.

A primeira impressão que tiveram um do outro foi a pior possível: ela o enxergava como um bruto e ele a via como uma moça mimada e rica, que se achava melhor do que todos os outros.

Conforme a viagem segue nós somos apresentados aos aspectos históricos daquele período, as dificuldades de se locomover, os que habitavam aquelas terras, o sofrimento dos escravos. Tudo isso é muito bem descrito, a Marina fez um excelente trabalho de pesquisa para trazer um cenário que fosse o mais real possível daquele período, e isso torna ainda mais doloroso de ler cada passagem relatando o sofrimento dos escravos, como eles eram tratados.

Apesar de ter sido criada na alta sociedade, com uma educação de qualidade, Célile não foi criada por seus pais para ser uma garota submissa, ela podia expressar suas opiniões e não imaginava que um dia fosse casar com um homem que não amava, ou ainda pior, que sequer conhecia. Entretanto, ela não consegue pensar em uma maneira de se livrar dessa situação, uma vez que é mulher e obviamente naquela período ela não tinha o poder de decidir como viver a sua vida.

Cécile é uma personagem extremamente forte, mesmo com todas as provações que ela sofreu ela continua lutando, continua intervindo por aqueles mais fracos, ainda que ela também não esteja numa posição tão boa assim. Ela faz aquilo que considera justo e por vezes ela se questiona como as pessoas podem ser tão cruéis com os seus semelhantes, porque os escravos são considerados seres inferiores se eles são pessoas com sentimentos, com alma, esses são pensamentos que ela tem que se tornam cada vez mais dolorosos conforme seu destino é entrelaçado com aqueles que ela deveria desprezar.


O romance entre Fernão e Cécile é bem desenvolvido, eles possuem uma ligação forte, apesar do desprezo que sentiram inicialmente eles acabam descobrindo que nem tudo é como a gente imagina, que cada um enfrenta uma batalha diferente e que muitas vezes julgamos as pessoas sem conhece-las a atração que sentem um pelo outro conforme vão se conhecendo melhor é inevitável.

Cada personagem apresentado durante a narrativa tem a sua importância devida, é impossível não se emocionar, e ao mesmo tempo sentir uma certa revolta por saber que de fato pessoas eram tratadas daquela maneira, e esse é o nosso passado vergonhoso.

A Marina soube trabalhar de forma excepcional todos esses elementos: desde a escrita, que ela procurou trazer um pouco daquela utilizada no período, o que causa uma certa estranheza no início mas logo o ritmo começa a se desenvolver com mais facilidade, o aspecto histórico, o desenvolvimento dos personagens, tudo isso colabora para criar uma obra incrível. A autora tem uma escrita muito fluída, isso torna a narrativa extremamente prazerosa e envolvente.


Ficaram interessados? Adquira o livro clicando na capa acima, e ajude esse lindo blog a crescer!
O Amor nos Tempos do Ouro
Volume #1, O Amor nos Tempos do Ouro
Autora: Marina Carvalho
Editora: Globo Livros (Selo Globo Alt)
Ano: 2016
Skoob: 4.5 Estrelas
Compre Aqui: Amazon, Saraiva, Submarino
04 Estrelas
"Sabes que nunca me apaixonei, maman, mas se porventura o tivesse feito, seria por alguém como ele?" Cécile Lavigne perdeu todos os que amava e agora está sozinha no mundo. Ela, uma franco-portuguesa que ainda não completou vinte anos, está sendo trazida ao Brasil pelo único parente que lhe restou, o ambicioso tio Euzébio, para casar-se com o mais poderoso dono de terras de Minas Gerais, homem por quem Cécile sente profundo desprezo. Após desembarcar no Rio de Janeiro, Cécile ainda precisará fazer mais uma difícil viagem. O trajeto até Minas Gerais lhe reserva provações e surpresas que ela jamais imaginaria. O explorador Fernão, contratado por seu futuro marido para guiá-la na jornada, despertará nela sentimentos contraditórios de repulsa e de desejo. Antes de enfim consolidar o temido casamento, Cécile descobrirá todos os encantos e perigos que existem nessa nova terra, assim como os que habitam o coração de todos nós. Com o passar dos dias, crescerá dentro dela a coragem para confrontar todas as imposições da sociedade e também o seu próprio destino.
Autora: Marina Carvalho nasceu em Ponte Nova, Minas Gerais, conhecida como a terra da goiabada. Adora queijo, rock progressivo, pudim de leite condensado, café com pouco açúcar e filmes com finais felizes. Ama ler, seja um bom livro policial, um chick-lit despretensioso ou o jornal do dia. Quando criança lia as revistinhas da Turma da Mônica, incentivada pela mãe, e ficava esperando ansiosamente pela chegada delas todos os meses. Formou-se em Jornalismo pela PUC-Minas e exerceu o cargo de assessora de comunicação de uma empresa por sete anos. Hoje é professora de língua portuguesa e literatura na Escola Nossa Senhora Auxiliadora. Mora em sua cidade natal com o marido e os dois filhos.

Comente com o Facebook