Resenha: O Livro do Juízo Final - Connie Willis

Um livro recheado de premiações literárias, onde viajar no tempo é o mote para as pesquisar da história da humanidade.

janeiro 25, 2018 - Postado Por: Yuri Lima
Compartilhe:

Um livro recheado de premiações literárias, onde viajar no tempo é o mote para as pesquisar da história da humanidade.




O tema de viagens no tempo não se esgota tão facilmente. Desde A Máquina do Tempo, de H. G. Wells, vários autores vem abordando o tema de várias perspectivas diferentes, desde o que essas viagens impactariam na nossa sociedade até o desenrolar das transformações no continuum espaço-tempo. Em O Livro do Juízo Final, de Connie Willis temos outra perspectiva dessas situações: como sabemos pouco do nosso passado a ponto de ser um risco pensar em fazer qualquer viagem no tempo.

Uma das coisas mais interessantes em O Livro do Juízo Final é a finalidade das viagens no tempo: puramente acadêmicas. Elas são usadas unicamente para o estudo da história e em nenhum momento é abordado se essas viagens já foram utilizadas para outros fins ou se isso sequer foi cogitado, o que é algo extremamente incomum. Uma sociedade tão intelectualmente e ideologicamente avançada a ponto de ninguém querer matar Hitler ou algo do tipo é algo utópico e pouco crível.



Mas é assim que elas são usadas e uma estudante da graduação, Kivrin, está prestes a viajar para a idade média para uma pesquisa de campo. O que não deveria ser permitido, pois existem poucas informações a respeito da idade média e tem a peste e doenças e estupradores e..... enfim, não é algo que o professor que a está aconselhando apoia, mas infelizmente essa não é uma decisão dele, já que ele pertence a outro grupo de estudos e o orientador de Kivrin e ele não se dão muito bem. Coisas de faculdade. Então, só resta a Dunworthy minimizar os danos e fazer de tudo para que sua aluna vá e volte da idade média em segurança. Inclusive disponibilizar seu melhor técnico de viagem no tempo para a ocasião.

Obviamente, o livro tem que existir e as coisas começam a dar errado. O técnico cai doente e fecham um cerco de quarentena em volta da universidade e arredores. Além disso, Kivrin também cai doente em um passado longínquo cuja língua não era exatamente o que ela esperava. E daí é tudo ladeira abaixo.



Acho que o que fez Connie ganhar tantos prêmios com esse livro é a maneira com que ela trabalha os personagens e os detalhes da trama. Tudo é muito bem feito e as personalidades são cativantes e cheias de nuances, com personagens extremamente críveis. Mesmo a sociedade exposta do futuro e do passado são bem trabalhadas e factíveis, com exceção do apontado no segundo parágrafo. Acho que Connie era uma mulher bem otimista com o futuro.

Entretanto, este foi um livro que não conseguiu me cativar. Ele tem um problema de ritmo muito grande. Mesmo intercalando passado e presente para dinamizar o enredo, Connie não conseguiu escrever um livro que você não consegue parar de ler e suas 576 páginas pesaram durante a leitura. E olha que eu sou acostumado a ler os calhamaços de fantasia.



A edição da editora Suma está muito bela e com um acabamento em capa dura digno de um livro tão premiado. O Livro do Juízo Final faz parte de uma série chamada Oxford Time Travel onde os personagens se aventuram (ou desventuram) em outros tempos e, apesar de não ter curtido tanto esse livro, curti bastante os personagens para querer ler outras aventuras suas. Resta saber se a editora trará o resto das histórias. Só viajando no tempo para descobrir.


Ficaram interessados? Adquira o livro clicando na capa acima, e ajude esse lindo blog a crescer!
O Livro do Juízo Final (Doomsday Book)
Volume #1, Oxford Time Travel
Autora: Connie Willis
Editora: Suma de Letras
Ano: 2017
Skoob: 4.5 Estrelas / Goodreads: 4.0 Estrelas
Compre Aqui: Amazon, Saraiva, Submarino
03 Estrelas
Para Kivrin, que se prepara para um estudo de campo em uma das eras mais mortais da história humana, viajar no tempo é tão simples quanto tomar uma vacina desde que seja uma vacina contra as doenças encontradas na Idade Média. Já para seus professores, isso significa cálculos complexos e um monitoramento constante para garantir o reencontro. No entanto, uma crise de proporções inimagináveis pode colocar o futuro de Kivrin, e de todo o Reino Unido, em perigo. Seu professor mais próximo, o sr. Dunworthy, fará de tudo para resgatá-la. Mas até que ponto é possível desafiar a morte. De 1300 a 2050, Connie Willis faz um trabalho magnífico na construção de personagens complexos, densos e pelos quais é impossível não sentir empatia. O livro do juízo final é ao mesmo tempo uma incrível reconstrução histórica e uma aula sobre o poder da amizade.
Autora: Connie Willis faz parte do panteão de grandes autores de ficção científica e fantasia, e já recebeu sete prêmios Nebula e onze prêmios Hugo, os mais importantes do gênero. Seus trabalhos mais conhecidos se passam no mundo dos historiadores de Oxford — O livro do juízo final é o primeiro deles, seguido por To Say Nothing of the Dog e Blackout / All Clear. Atualmente ela vive no Colorado com a família.

Comente com o Facebook