Resenha: Creepshow - Stephen King e Bernie Wrightson

Stephen King, George Romero e Bernie Wrightson estão te esperando com cinco histórias saídas da cova diretamente para você.

janeiro 23, 2018 - Postado Por: Rafael Lutty
Compartilhe:

Stephen King, George Romero e Bernie Wrightson estão te esperando com cinco histórias saídas da cova diretamente para você.




Creepshow é um filme de 1982, com roteiro original do mestre Stephen King e direção do lendário George A. Romero. O filme é um excelente exemplo de filme trash de terror, com baixo orçamento, que foi febre especialmente nas décadas de 60/70/80, e que é considerado cult atualmente.

Para citar exemplos, temos: Night of the Living Dead – 1968 (A Noite dos Mortos-Vivos), The Blob – 1958 (A Bolha Assassina), Puppet Master – 1989 (O Mestre dos brinquedos) e Attack of the Killer Tomatoes – 1978 (O ataque dos Tomates Assassinos). Assistir estes filmes hoje em dia, é ter certeza de dar boas gargalhadas com atuação precária, muito sangue de ketchup e muitas cenas bizarras e de revirar o estômago. Mas algumas décadas atrás, eram estes os filmes responsáveis por causar pesadelos e fazer as pessoas roerem as unhas e verificar debaixo da cama.



No filme escrito por King, temos a popular revista em quadrinhos Creepshow, com histórias de horror e itens macabros para venda. O jovem Billy – interpretado por ninguém menos que Joe Hill (filho de Stephen King, e atualmente consagrado autor de livros de terror e suspense) – é fã da revista, o que aborrece seu pai, que acredita que o filho não deve consumir essas ‘porcarias’. Ao jogar a revista no lixo, na noite de halloween, observamos um vento sobrenatural folhear as páginas revelando histórias macabras.

Ao todo são cinco contos de horror:

1º - “Dia dos Pais” conta como o falecido Nathan Granthan volta do mundo dos mortos para vingar-se da filha que o assassinou e reivindicar seu bolo de dia dos pais.

2º - Em “A Morte Solitária de Jordy Verrill” acompanhamos o caipira Jordy que encontra um meteorito caído em suas terras e pretende vende-lo por 200 dólares, porém o plano dá errado quando uma estranha gosma saída do meteoro faz toda a vegetação crescer de modo sinistro, inclusive no próprio Jordy (que é sofridamente interpretado pelo mestre Stephen King).



3º - “Indo com a Maré” narra a história de Richard Vickers, que se vinga de sua esposa e do amante, enterrando-os até o pescoço na areia de uma praia, para que sejam afogados pela maré, mesmo que eles não permaneçam no além por muito tempo.

4º - Em “A Caixa” o faxineiro de uma faculdade encontra uma caixa datada de 1834, muito bem fechada, e avisa o professor Dexter Stanley. Juntos eles abrem a caixa e libertam uma estranha criatura que ataca Mike e parece ter uma vontade incontrolável de fazer novas vítimas. Henry Northrup, outro professor para quem Dexter compartilha o ocorrido, vê na caixa a possibilidade de livrar-se de sua irritante esposa.

5º - “Vingança Barata” é a última história, e mostra como o cruel Upson Pratt, um milionário tirano que possui mania de limpeza, lida com as baratas que insistem em lhe visitar.



A adaptação do filme, para os quadrinhos, foi feita por Bernie Wrightson, famoso ilustrador de quadrinhos de terror/horror, co-criador do Monstro do Pântano. Stephen King sempre foi fã dos trabalhos de Wrightson e além de Creepshow o artista foi responsável pelas ilustrações nos livros “A Hora do Lobisomem”, “Dança da Morte” e no quinto volume da série “A Torre Negra”, todos escritos por King. Bernie Wrightson faleceu em 18 de março de 2017, vítima de câncer cerebral, aos 68 anos.

Em 2017, a editora Darkside Books, através do selo Darkside Graphic Novel, lançou Creepshow no Brasil, em uma edição digna de colecionador. No quadrinho temos as mesmas cinco histórias do filme, na arte de Wrightson. A edição, de capa dura, carrega todo o cuidado gráfico que já virou símbolo da editora, e presenteia os fãs com uma edição de encher os olhos.



Como fã declarado dos filmes trash e dos quadrinhos de terror, fico muito contente que estas obras sejam relançadas e ganhem mais visibilidade atualmente. Embora as histórias sejam excelentes, só o fato de ter Stephen King, George Romero e Bernie Wrightson juntos em uma obra, é uma intimação para os fãs de terror correrem para garantir o seu exemplar e terem bons pesadelos.


Ficaram interessados? Adquira o livro clicando na capa acima, e ajude esse lindo blog a crescer!
Creepshow
Autor: Stephen King (autor), Bernie Wrightson (ilustração)
Editora: Darkside Books (Selo Darkside Graphic Novel)
Ano: 2017
Skoob: 4.1 Estrelas / Goodreads: 4.0 Estrelas
Compre Aqui: Amazon, Saraiva, Submarino
05 Estrelas
Tudo começou em 1982. King juntou forças com outro gênio das sombras, o diretor George A. Romero (A Noite dos Mortos-Vivos), para realizarem um filme inspirado em quadrinhos clássicos dos anos 1950, como Contos da Cripta, da EC Comics. O longa-metragem marcou a estreia de King como roteirista - e, curiosamente, sua segunda aparição como ator. Creepshow (que no Brasil ganhou o subtítulo Show de Horrores) se tornaria um cult movie instantâneo. E no mesmo ano Stephen King quis deixar ainda mais explícita sua homenagem à fonte original. Assim, ele adaptou seu roteiro de cinema para os quadrinhos, contando com a arte do magistral Bernie Wrightson, um dos criadores e primeiro ilustrador de O Monstro do Pântano, e capa de Jack Kamen, autor da EC Comics. A história em quadrinhos era a maneira perfeita para os fãs reviverem todos os pesadelos do filme em casa. Trinta e cinco anos depois, você pode fazer o mesmo - até porque o mais provável é que sua fita vhs já esteja desmagnetizada. Creepshow reúne cinco histórias de arrepiar, duas delas adaptadas de contos que King já havia publicado: "Weeds" e "The Crate". Usando um decrépito narrador morto-vivo, o autor de It: a Coisa e Torre Negra soube recriar o clima dos gibis malditos que o assustavam quando ainda era um adolescente rebelde no estado do Maine.
Autor: Stephen King era um leitor fanático dos quadrinhos EC's horror comics incluindo Tales from the crypt, que estimulou seu amor pelo terror. Na escola, ele escrevia histórias baseadas nos filmes que assistia e as copiava com a ajuda de seu irmão David. King as vendia aos amigos, mas seus professores desaprovaram e o forçaram a parar. De 1966 a 1971, Stephen estudou Inglês na Universidade do Maine em Orono, onde ele escrevia uma coluna intitulada "King's Garbage Truck" para o jornal estudantil, o Maine Campus. Ele conheceu Tabitha Spruce lá e se casaram em 1971. O período que passou no campus influenciou muito em suas histórias, e os trabalhos que ele aceitava para poder pagar pelos seus estudos inspiraram histórias como "The Mangler" e o romance "Roadwork" (como Richard Bachman).

ilustração: Bernie Wrightson começou a carreira como ilustrador do jornal Baltimore Sun, quando tinha apenas 18 anos. Após conhecer o ídolo Frank Frazetta numa convenção em Nova York, decidiu se dedicar aos quadrinhos. Em 1968, já tinha publicado na Marvel e na DC Comics. Com o roteirista Len Wein, criou O Monstro do Pântano, personagem ícone dos quadrinhos. Outro de seus personagens, o Destino (de 1972), seria incorporado na saga Sandman, de Neil Gaiman, como um dos Perpétuos. Bernie nos deixou recentemente, em 18 março de 2017, e o último episódio da 7a temporada de The Walking Dead foi dedicado à sua memória.

Comente com o Facebook