Resenha: Os Meninos que Enganavam Nazistas - Joseph Joffo

Autor descreve sua infância perdida junto com a França. O grande culpado: A Segunda Grande Guerra Mundial

novembro 15, 2017 - Postado Por: Redação SOODA
Compartilhe:

Autor descreve sua infância perdida junto com a França. O grande culpado: A Segunda Grande Guerra Mundial




Crianças de dez anos brincam, estudam, fazem estripulias, descobrem um mundo novo. Porém crianças de dez anos na França, no período da Segunda Guerra Mundial precisam crescer. Deixar a inocências de lado. Se tornarem pequenos adultos. Senão, o que lhes restam, é esperar que sua pequena vida, se acabe.

Isso porque, em 1940, logo no inicio da segunda guerra mundial. A Alemanha consegue dominar os franceses. Numa empreitada que surpreendeu a todos. E assim, a parte norte da França passa ser território ocupado da Alemanha e a parte sul, foi assumida pelo Marechal Pántain, que criou a França de Vichy, um Estado francês influenciado pelos nazistas, que era opositor as Forças Livres Francesas.



Seguindo as regras de Hitler, começou-se no país a perseguição aos judeus. Entre eles a familia Joffo, a qual sua história é contada pelo filho caçula, Joseph, nesse livro. O jovem, junto com o seu irmão, dois anos mais velho, Maurice. Tiveram que fugir, e literalmente enganar nazistas para continuarem livres. Ou melhor, vivos.

A história começa em Paris, capital da França, que fica na parte norte do país. Lá Joseph e Maurice viviam com a sua família. Os jovens se divertiam, assim como qualquer criança da idade deles (10 e 12 anos respectivamente). Porém, quando eles retornaram para a casa, seu pai fez um comunicado: Eles deveriam ir embora para parte sul do território francês, encontrar seus dois irmãos mais velhos. A guerra estava chegando na capital, e eles se permanecessem por lá. Talvez não durassem muito tempo. Entretanto, para despistar os alemães, as crianças tinham que enfrentar essa viagem sozinhos. Ali acaba a infância daquelas crianças. Começava uma jornada para sobrevivência.

Mapa da viagen dos Irmãos Joffo.
Traçado pelo Blog Inventando com a Mamãe


UMA HISTÓRIA DE AMOR AO PRÓXIMO, EM MEIO A SOBREVIVÊNCIA

Os irmãos Joffo saem então para o destino indicado pelos pais dele. A partir de então, só dependia deles, manterem suas vidas. Na verdade leitor, inicialmente acreditamos assim, que somente eles eram responsáveis por suas vidas. Porém, encontramos ao longo da história, pessoas dispostas a ajudar. Padres, arcebispos, idosos, jovens, médicos. Muita gente, que arriscara a vida para que aqueles dois seguissem a sua jornada pela vida. É tão bonito ver, como existe muita solidariedade em meio a guerra. Porém, uma guerra é uma guerra.

Os dois pequenos apesar de toda ajuda, sempre caíram em alguma dificuldade. Guardas alemães que o paravam a todo o instante, faziam interrogatórios intermináveis, esperando uma pequena oportunidade para os pegarem na mentira. E deixando a todos nós espectadores dessa história apreensivos, num estado latente de impotência e torcendo para que tudo desse certo.



COMO ESTAVAM OS FRANCESES?

Apesar de acompanhar somente a caminhada dos dois, tínhamos um vislumbre dos acontecimentos ao redor da França dominada pelos nazistas. Movimentos dos alemães, italianos e também os franceses "pró" e contra o nazismo. Percebe-se que ao longo dessa guerra, inicia-se um sentimento anti-semita pesado entre muitos franceses. Sem contar, a sensação de derrota e desesperança que tomou conta do país durante quatro longos anos.

Porém, existiam aqueles que acreditavam que podiam combater os alemães. E assim faziam. Era a resistência, ao império nazista que se alastrava. Essa resistência tinha apoio na Inglaterra e em Argel (Argélia). E Joseph queria muito ajudar de alguma forma, apesar de jovem. Alias, lá pelo meio da história, ele ajuda e sente-se todo orgulhoso por isso. É como, se pequenas coisas positivas dessem um gás para que eles continuassem sobrevivendo.



Joffo ao escrever esse livro, nos coloca ao seu lado dentro desse período sombrio. De modos que os seus sentimentos, se tornam o nosso. Desde o inicio, no que para ele era uma "grande aventura", como é relatado no posfácio desse livro, até o momento que o jovem garoto cresce e percebe que a morte é eminente para aqueles que não tomam o devido cuidado. Alias, para qualquer um que não consiga enganar os nazistas.
COMPRANDO NO LINK DA IMAGEM ACIMA, ALÉM DE UM DESCONTAÇO, VOCÊ AJUDA ESSE BLOG A CRESCER
Os Meninos que Enganavam Nazistas (Un sac de billes)
Autora: Joseph Joffo
Editora: Vestigio (Grupo Autêntica)
Ano: 2017
Skoob: 4,4 Estrelas/ 3,9 Estrelas
Compre na Amazon / Compre no Submarino
04 Estrelas
Paris, 1941. O país é ocupado pelo exército nazista e o medo invade as casas e as ruas francesas. O poder de Hitler se mostra absoluto e brutal na França… É durante um dos períodos mais turbulentos da História que a emocionante narrativa de Joseph e Maurice se desenrola. Irmãos judeus de 10 e 12 anos de idade, eles perambulam sozinhos pelas estradas, vivendo experiências surpreendentes, tentando escapar da morte e em busca da zona livre para ganhar a liberdade. Essa é uma história real, autobiográfica, cuja espontaneidade, ternura e humor comprovam o triunfo da humanidade e da empatia nos momentos mais sombrios, quando o perigo está sempre à espreita… Os meninos que enganavam nazistas conta a fantástica e emocionante epopeia de duas crianças judias durante a ocupação, narrada por Joseph, o mais jovem.
Autor: Joseph Joffo foi uma criança feliz, até 1940, quando a guerra aportou na França. A partir de então ele lutou pela vida, viajando toda a França. Voltou a Paris depois da guerra e a partir de então se tornou escritor, roteirista. E a sua maior história escrita, com certeza foi aquela que ele vivenciou durante a tenebrosa Segunda Guerra Mundial.

Comente com o Facebook