Resenha: Crueldade - Scott Bergstrom

Da noite para o dia, Gwendolyn se vê forçada à abandonar sua adolescência para uma maturidade incerta.

setembro 26, 2017 - Postado Por: Everton Assis
Compartilhe:

Da noite para o dia, Gwendolyn se vê forçada à abandonar sua adolescência para uma maturidade incerta.




Ontem Gwendolyn, hoje Sophia, uma transição dura e cheia de cicatrizes.

Um dos lançamentos mais recentes da editora Seguinte, Crueldade, primeiro volume da trilogia The Cruelty é o livro de estréia do autor Scott Bergstrom. A obra carrega em suas 376 páginas elementos fundamentais para o sucesso de qualquer filme de ação hollywoodiano. No entanto, apresenta para o leitor um final levemente previsível. Porém, que não tira toda a euforia do enredo e prende sua atenção do começo ao fim.



A nossa protagonista, Gwendolyn, enfrenta os percalços da vida desde muito cedo, perdeu a mãe em um trágico acidente quando ainda era criança. Agora sendo uma adolescente, ela se esforça para ter uma boa relação com seu pai, que por conta do trabalho passa muitos dias longe.

O pai de Gwendolyn é um diplomata do governo americano e por conta disso eles acabam não ficando por muito tempo em um país. O que acaba não permitindo que ela consiga estabelecer laços de amizade, ou se conectar ao ambiente como sendo seu lar. Ainda precisa enfrentar os constates bullying de “colegas” de turma (com colegas assim, quem precisa de inimigos?) por não se adequar aos “padrões” do local. Mas, tudo muda durante uma noite, quando ela recebe da CIA a notícia que seu pai está desaparecido e não deixou nenhuma pista de seu paradeiro. Deste ponto em diante, a vida de Gwendolyn ganhará diversas reviravoltas.



Gwendolyn tem seu pai como a única referência de família e após alguns dias sem saber nada sobre o seu paradeiro, isso começa a devastar ela por dentro. Pessoas que são expostas a grandes traumas tendem a fazer coisas inusitadas e é isso que acontece com Gwendolyn. Ao encontrar supostas pistas que podem ajudar a desvendar o sumiço de seu pai, ela irá por conta própria enfrentar o desconhecido para este resgaste.

Aqui vocês já percebem uma sutil mudança na personalidade de Gwendolyn, o que de fato me deixou intrigado no começo, pois, como pode ocorrer uma mudança em pouquíssimo tempo?



A agente Yael foi um dos grandes destaques deste primeiro livro para mim, uma mulher misteriosa, forte e dificilmente fugiria de uma situação ruim. Yael irá moldar a antiga Gwendolyn em uma nova Sophia e mostrar que no caminho a seguir, surgirão todo o tipo de malfeitor.

Se você pensou que a trama se restringiria somente ao território americano, definitivamente não. Scott com sagacidade amplia o pano de fundo da trama levando a lugares conhecidos de muitos de nós leitores. Berlim e Paris estão nesta lista. O autor pontua algumas referências seja, com lugares ou palavras do cotidiano da população local para dar uma maior imersão para a leitura.



Com o surgimento de Sophia o livro passa a ser 100% ação, o que faz você querer mais ainda avançar na leitura. Scott tratou de amarrar bem as pontas da trama, o que traz uma fluidez na leitura. Quando perceber você já terminou o livro.

Fico pensando no autor desenrolando a trama e adicionando as inúmeras cenas de ação e pensando: “você queria ação na trama @? Tome ação!” hahaha.



Foi uma grande surpresa está leitura e mesmo com o “pequeno probleminha” com a protagonista, o livro é super recomendável. Muita ação, conspirações, maldade nas veias e espero encontrar muito mais, na próxima sequencia desta trilogia.
Crueldade (The Cruelty)
Volume #1, The Cruelty
Autor: Scott Bergstrom
Editora: Seguinte
Ano: 2017
Skoob: 3.8 Estrelas / Goodreads: 3.5 Estrelas
Compre Aqui ♥
03 Estrelas
O mundo de Gwendolyn Bloom vira de cabeça para baixo quando seu pai desaparece durante uma viagem de trabalho. Ela logo descobre que ele não é o homem que, por dezessete anos, achou que fosse — e essa é só a primeira de muitas revelações que Gwendolyn terá pela frente. Sem poder contar com a ajuda de mais ninguém para encontrá-lo, a garota parte em uma jornada tão perigosa quanto alucinante, seguindo os rastros do pai pela Europa. Porém, para se infiltrar — e sobreviver — em um novo mundo cheio de maldade e perversão, ela precisará deixar toda a sua vida para trás, assumir uma nova identidade e se tornar alguém tão cruel quanto seus piores inimigos.
Autor: Scott Bergstrom é um escritor, viajante e fotógrafo. Mora no Colorado, Estados Unidos, com a mulher e as duas filhas. Crueldade é seu primeiro livro de ficção.

Comente com o Facebook