Vem Aí: Forças das trevas: o manuscrito perdido de Drácula (Editora Intrínseca)

Editora Intrínseca lançará em breve, edição de Drácula, com um toque do tradutor islandês Valdimar Ásmundsson, que incutiu mais sexo, sangue e mitologia nórdica ao clássico da literatura mundial

agosto 18, 2017 - Postado Por: Redação SOODA
Compartilhe:

Editora Intrínseca lançará em breve, edição de Drácula, com um toque do tradutor islandês Valdimar Ásmundsson, que incutiu mais sexo, sangue e mitologia nórdica ao clássico da literatura mundial




Afirmando ter sido a segunda mordida no Vampiro de Bram Stoker, o jornal "The Guardian" inicia a matéria sobre o lançamento dessa obra que ficou perdida por tanto tempo, e que chegou aos olhares ingleses no inicio desse ano. Publicado na Islândia pela primeira em 1901, "Força das Trevas" é uma tradução seriada de Drácula de Bram Stoker publicada no jornal Fjallkonan por Valdimar Ásmudsson que foi o responsável pela tradução e "adaptação" da obra para o Islandês.

Depois disso, a obra ficou desconhecida pelo mundo todo, até que em 1986 foi encontrada pela primeira vez, porém naquela época o olhar ficou somente sobre o prefácio exclusivo que o próprio Bram Stoker tinha escrito.

Mais tarde, em 2014, o historiador Hans Corneel de Roos reencontrou a obra na Islândia e percebeu que tinha encontrado algo único e ao mesmo tempo misterioso.

O mistério centra-se todo no sentido que: Onde termina a parte em que Bram Stoker escreveu e quais parte Valdimar Ásmudsson adaptou? Isso acontece porque o que Hans encontrou foi uma obra totalmente diferente do Drácula que conhecemos. O historiador acredita, que diferente do resto do mundo. O Ásmudsson trabalhou em cima dos manuscritos e rascunhos do próprio Stoker e não da obra acabada. Inclusive no prefácio dessa obra, Stoker escreve:

"Eu não tive que fazer mais do que remover alguns eventos menores que não importam a história e, portanto, deixar as pessoas envolvidas reportarem suas experiências na mesma maneira simples em que essas páginas foram Originalmente escrito ... caso contrário, deixo o manuscrito inalterado." (Trecho retirado e traduzido da matéria do Jornal The Guardian).


FICA ENTÃO A DÚVIDA !!!

Entre as modificações, houve uma diminuição de alguns diálogos que se transforam em uma narrativa indireta recheada de outras reflexões. A viagem de Jonathan Harker para a Transilvânia é dois terços mais longa em Makt Myrkranna (Força das Trevas). Além disso, o narrador torna-se onisciente, e são acrescentadas diversas referências à literatura nórdica.

Os brasileiros tirarão suas próprias conclusões, visto que o livro tem perspectiva de lançamento ainda para 2017 (Eu acredito em Outubro) pela Editora Intrínseca. A obra tem a tradução de Marcia Heloisa, que também foi responsável pela tradução de Edgar Allan Poe - Coleção Medo Clássico, lançado pela Darkside Books no inicio desse ano.

Nos 120 Anos do lançamento de Bram Stoker, nada melhor que um lançamento como esse que pode reconfigurar a maneira da gente ver o Drácula, sem tirar a essência do que vimos dele, durante muitos anos.



Reportagem sobre o lançamento dessa obra no The Guardian
Reportagem sobre o lançamento dessa obra no Chicago Tribune

Comente com o Facebook