Resenha: Elogio da Madrasta - Mario Vargas Llosa

Um livro curto, que traz uma narrativa construída com maestria por um dos maiores nomes da literatura atualmente.

agosto 18, 2017 - Postado Por: Rafael Lutty
Compartilhe:

Um livro curto, que traz uma narrativa construída com maestria por um dos maiores nomes da literatura atualmente.




Recentemente, eu decidi embarcar em um projeto pessoal de incentivo à prática de visitar bibliotecas. E a primeira coisa que eu fiz foi tirar meu cartão na Biblioteca Pública Arthur Vianna, aqui em Belém-PA – vou deixar as informações no final da resenha. E a melhor forma de aproveitar minhas idas na biblioteca, foi me permitir conhecer autores clássicos e contemporâneos com os quais eu estou pouco familiarizado. Ainda no embalo da experimentação, aproveitei para me condicionar a ler alguns vencedores do prêmio Nobel de Literatura, e o primeiro deles foi Mario Vargas Llosa.

Por trabalhar em uma livraria, sempre ouvi vários clientes elogiarem a escrita do autor peruano e, sempre tive a curiosidade em ler alguma de suas obras. Pois bem, a curiosidade (finalmente) levou à ação e saí da biblioteca acompanhado por Elogio da madrasta. A edição que eu li, foi a de bolso, da Ponto de Leitura, com 179 páginas. Um livro que você consegue ler em uma tarde.


Embora seja um livro curto, com poucos personagens e possua um enredo simples, a maestria com que o autor consegue envolver o leitor com sua escrita, é algo singular. Acompanhamos o casal don Rigoberto e Lucrecia, vivenciando o ápice de sua vida conjugal descobrindo um ao outro a cada noite. Uma relação intensa que poderia encontrar seu declínio caso Alfonso, ou Fonchito, filho de don Rigoberto, se recusasse a aceitar a madrasta, dado o amor intenso que tinha por sua falecida mãe. No entanto, logo na primeira página, fica claro que Alfonso foi arrebatado pelo vigor de Lucrecia e nas entrelinhas, já é possível notar que não se trata de uma admiração exclusivamente fraternal.

Conforme o texto flui, percebemos a dualidade do amor de Fonchito por Lucrecia. Llosa caminha de maneira elegante pela corda bamba do sagrado e do profano e evoca sentimentos contraditórios no leitor. Ao mesmo tempo em que Fonchito é descrito - pela ótica de outros personagens - como um ser quase angelical e de enorme pureza, a sombra da malícia parece cercar o garoto.



Alguns dos capítulos do livro trazem pinturas clássicas, e o autor as descreve como se fizessem parte da história, é como se os modelos nas pinturas fossem os personagens do livro. Essas descrições personalizadas, são um campo vasto em que o autor nos presenteia com uma escrita capaz de refinar até o ato da evacuação intestinal.

Elogio da madrasta é um livro erótico, que vai muito além do senso comum. Llosa expande o conceito de erotismo para além do ato sexual em si, o modo como nos comportamos em relação ao nosso próprio corpo, em relação ao corpo do outro, a descoberta da sexualidade e os conceitos morais e de valores, são alguns dos temas pelos quais o autor passeia sob a ótica do erotismo.


O final do livro, traz um plot twist que realmente surpreende, e conseguir isso em um livro com menos de 200 páginas já é uma conquista louvável para o autor, muito dessa proeza se dá por conta da construção cuidadosa dos personagens.

Em suma, meu primeiro livro de Mario Vargas Llosa, foi uma leitura muito prazerosa e rica. Fica aqui minha indicação. E reforço, que sair da zona de conforto literária pode nos levar a belas decepções, mas também a grandes descobertas, fico feliz de dizer que o livro se enquadra na segunda opção.

Para quem for de Belém-PA, e quiser aderir à prática de visitar bibliotecas, uma boa opção é a Biblioteca Pública Arthur Vianna, que fica no Centur (Av. Gentil Bitencourt, 650 – Batista Campos). Para retirar o cartão da biblioteca é bem simples, basta se dirigir ao local portando RG, CPF e comprovante de residência. É gratuito e o cartão sai na hora. (Não faça como eu, vá arrumadinho, pois você vai precisar tirar uma fotinho na hora, e ela sai no seu cartão). É possível fazer dois empréstimos por vez e o prazo para devolução é de 10 dias, sendo que você pode renovar caso não tenha terminado de ler, a multa é de R$1,00 por dia de atraso.
Elogio da Madrasta (Elogio de la Madrasta)
Autor: Mario Vargas Llosa
Editora: Ponto de Leitura
Ano: 2011
Skoob: 3.6 Estrelas / Goodreads: 3.4 Estrelas
Compre Aqui
04 Estrelas
Lucrecia e don Rigoberto vivem em contínua felicidade. Ela, que acaba de completar 40 anos, nada perdeu de sua elegância e sensualidade; ele, no segundo casamento, descobriu finalmente os prazeres da vida conjugal. Juntos, creem que nada pode afetar esse idílio cheio de fantasias e sexo. Alfonso, ou Fonchito, filho de don Rigoberto, parecia ser o único empecilho; amava demais sua mãe, Eloísa, para aceitar a chegada de uma madrasta. Mas até ele foi conquistado pelos encantos de dona Lucrecia.
O amor do menino por sua madrasta, entretanto, vai muito além do que se esperaria de uma criança, criando uma linha tênue entre a paixão e a inocência que mudará o destino de cada um deles.
Elogio da Madrasta é uma incursão bem-humorada e sutil de Vargas Llosa na literatura erótica; é um livro surpreendente, de um dos mais importantes escritores da atualidade.
Autor: Jornalista, dramaturgo, ensaísta e crítico literário, Mario Vargas Llosa é um dos mais importantes escritores da atualidade. Nascido em Arequipa, no Peru, em 1936, viveu em Paris na década de 1960 e lecionou em diversas universidades norte-americanas e europeias ao longo dos anos. Numa incursão ao mundo da política, candidatou-se à presidência do Peru em 1990, perdendo a eleição para Alberto Fujimori.
Autor de uma extensa obra literária, foi vencedor dos prestigiosos prêmios Cervantes, Príncipe de Astúrias, PEN/Nabokov e Grinzane Cavour. Em 2010, recebeu o prêmio Nobel de Literatura. O autor divide seu tempo atualmente entre Londres, Paris, Madri e Lima. Entre seus livros publicados destacam-se Pantaleão e as visitadoras, Tia Julia e o escrevinhador, A guerra do fim do mundo, Os cadernos de don Rigoberto e Travessuras da menina má.

Comente com o Facebook